Mais do que apenas um mestrado em Ciência da Computação

Benefícios da vida multicultural

Mais do que apenas um Mestrado em Ciência da Computação: Benefícios da Vida Multicultural

(Esta é uma reedição de um artigo publicado em julho 24, 2017, por MUM brasileiro estudante Mauro Nogueira, PMP, no grupo do LinkedIn: Profissionais de Informática na Maharishi University of Management.)

A experiência que tivemos vai além de um diploma de nível superior. Ganhamos um selo de “preparação global” em nossas vidas….

O mundo é global. De jeito nenhum! Mesmo?

Eu sei, parece redundante, mas é verdade. Vivemos em um planeta que não deveria ter fronteiras de conhecimento e relacionamento. Quando você tiver a chance de compartilhar e saber o que está do outro lado, verá que todos compartilham os mesmos sonhos, medos, desejos e esperanças.

Tive uma grande oportunidade de estar cercado por um ambiente multicultural durante a parte do meu programa de mestrado em profissionais de computação na Maharishi University of Management no campus.

Nos meses 8, estudei em tempo integral no campus da MUM. O corpo discente era composto por aproximadamente 70% de estudantes internacionais. Na minha entrada estavam estudantes 94 vindos de países 20 em todo o mundo.

Eu tive essa oportunidade incrível de estar perto de culturas que nunca pensei que iria experimentar. Enquanto no campus Eu fiz amigos de países incluindo: Afeganistão, Bangladesh, Camboja, China, Colômbia, Egito, Eritréia, Etiópia, Gana, Índia, Indonésia, Irã, Jordânia, Mongólia, Marrocos, Nepal, Paquistão, Palestina, Filipinas, Paquistão, Ruanda, Arábia Saudita Arábia, Sri Lanka, Sudão, Tunísia, Uganda, Ucrânia, Uzbequistão, Venezuela, Vietnã e outros.

Uau, isso é o que eu chamo de “caldeirão”!

Ter uma oportunidade como essa é única e você deve aproveitar o máximo possível. E eu fiz.

Aprendi muito sobre outras culturas e pude ver quantas coisas têm em comum com minha própria cultura e também quantas diferenças existem. Uma experiência tão enriquecedora na minha vida.

Durante esse tempo aprendi coisas como:

  • Quantas línguas diferentes existem. Quão ricas e incríveis elas são.
  • Quais são os princípios morais e éticos em sua sociedade?
  • Como é o sistema educacional em seus países?
  • Familiaridade com culturas americanas / ocidentais e outras.
  • Sobre religião e política.
  • Quais esportes são os favoritos.
  • O que eles comem no café da manhã, almoço e jantar.
  • Tipos de música existentes em seus países.

 

Ao perceber as coisas comuns entre as diferentes culturas, foram as diferenças que mais me enriqueceram.

Alguns fatos descobri:

  • A maioria das pessoas do Nepal não escalou o Monte. Everest.
  • Os muçulmanos são ótimos contadores de piadas. Eles são muito engraçados.
  • Todos os mongóis são descendentes de Genghis Khan.
  • No Irã, eles não falam árabe, mas persa - o que é muito diferente.
  • Muitos países africanos usam as mesmas cores em suas bandeiras (verde, amarelo, vermelho) por causa do papel de liderança assumido pela Etiópia na Liga das Nações. Essas cores estão na bandeira nacional da Etiópia, e vários outros países adotaram essas cores quando se tornaram independentes, como fonte de inspiração.
  • O arroz está presente em todas as culturas como um componente importante nas refeições.
  • Não importa a religião que você tem, os princípios básicos são os mesmos: respeitar o seu Deus, tratar os outros da mesma forma que você gostaria que os outros o tratassem, há tempo para penitência e tempo para celebração, entre outras coisas.
  • Não importa o idioma que você fala, todos podem ser amigos.

Minha intenção não é discutir qual cultura é melhor ou pior. O que quero mostrar é que quando você abre sua mente e coração para ouvir o outro lado, mesmo quando discorda do ponto de vista e das crenças do outro, você cria em si mesmo uma nova experiência, e talvez possa começar a ver algo de uma perspectiva diferente da sua.

Não há melhor ou pior. O que existe são as DIFERENÇAS. E devemos respeitar essas diferenças. É a única maneira de construir paz, fraternidade e autoconsciência.

Você não cresce quando vê / age da mesma maneira. Você cresce quando tenta caminhos diferentes e escolhe o melhor para atingir seu objetivo.

Meu conselho ao experimentar um ambiente multicultural:

  • Ouça: seja um ouvinte ativo. Não dê ouvidos apenas para preparar sua resposta e se defender, mas para entender o que o outro lado está dizendo. Culturas diferentes têm maneiras diferentes de se comportar em muitas situações.
  • Tenha empatia: às vezes discordamos dos outros apenas porque eles têm uma opinião diferente. Em vez de apenas rejeitar uma ideia, tente se colocar no lugar do outro. Talvez o ponto de vista seja diferente apenas porque o cenário parece diferente.
  • Respeito: coisas que para nós são aceitáveis, para outros talvez não sejam.
  • Repetir: continue fazendo os três pontos acima.

E se você? Você já teve essa experiência de estar cercado por um ambiente multicultural? Como foi isso? Vamos discutir isso…. 🙂

Mauro Nogueira (autor) e sua família